27 de mar de 2016

Dimensões da Salvação

Tratando-se da temática salvação, é importante entendermos que ela é de infinito alcance, como relata Antonio Gilberto. E diante das limitações humanas, jamais poderemos absorver sua plena dimensão. No entanto, algumas vertentes estão patentes ao nosso entendimento e citaremos algumas logo abaixo.


Dimensão Sacerdotal – Jesus ofereceu sacrifício por nós a fim de apagar nossos pecados.

Propiciação - Em Romanos 3.25,26 lemos: a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus”.  

A palavra propiciação tem origem no Antigo Testamento, mais propriamente do propiciatório que era usado para cobrir a arca. Evocando assim, que da mesma forma, a misericórdia de Deus em Cristo Jesus cobriu nossos pecados, numa visão Veterotestamentária, e apagou, numa visão Neotestamentária.

Dimensão Jurídico – Através do sacrifício de Jesus, não há mais condenação. Juridicamente, Ele tomou sobre si a pena que era sobre nós.

Justificação – Em Romanos 3.24 lemos: “sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus”.

Ainda, em Romanos 4.25: “ o qual foi entregue por causa das nossas transgressões e ressuscitou por causa da nossa justificação.

A palavra Justificação remete o significado de “Declarar justo”. Ou seja, a partir do sacrifício de Jesus, Ele nos declara livres de todo pecado cometido. Em Ao. Háa menção de que haverá uma pedra branca no céu com um novo nome para cada um de nós salvos em Jesus. A pedra branca significa absolvição, pois não há nenhuma condenação para quem está em Cristo Jesus. Paulo faz menção: Rm 4.25 “o qual foi entregue por causa das nossas transgressões e ressuscitou por causa da nossa justificação”

Dimensão Comercial – Pagou a duplicata do pecado com sangue.

Quitação - Colossenses 2:14   tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz;

ü  Quitação= Duplicata era usado na época.
ü  Duplicata era pregava do lado de fora do comercio
ü  Enquanto não fosse paga não seria retirada, impedindo de comprar.
ü  Mas depois de pago, era carimbada e permanecia por longo tempo.
ü  Nossa duplicata foi pregada na cruz. Por toda vida revelando. Não devo mais nada.

Dimensão Criminal – Você recebeu o alvará de soltura, não é mais escravo.

Redenção - Levítico 25:48   depois de haver-se vendido, haverá ainda resgate para ele; um de seus irmãos poderá resgatá-lo:
I Timóteo 2:6  o qual a si mesmo se deu em resgate por todos:
Colossenses 1:14   no qual temos a redenção, a remissão dos pecados.

ü  Redenção= Comprar de volta,
ü  Readquirir pessoa ou coisa.
ü  Readquiri-lo mediante preço exigido
ü  Usado no contexto de escravos.

Dimensão Familiar – Você é parte da minha família.Herdeiro.

Reconciliação - Romanos 5:10   Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida;  
Romanos 5:11   e não apenas isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por intermédio de quem recebemos, agora, a reconciliação

ü  Reconciliação= Harmonizar as relações interrompidas.
ü  Remover barreiras.
ü  Restaurar comunhão e comunicação.
ü  ( Ofensor, ofendido, mediador)

Ilustração:

   Conta-nos uma história, que certo menino havia feito um barquinho de papelão e estava brincando nas águas da chuva que desciam na rua de sua casa. Ele soltou o barquinho e foi seguindo-o pela calçada, no entanto, sem se aperceber que logo a diante havia um grande bueiro, perdeu sua obra de arte e brinquedo.Indo para sua casa aos prantos, contou caso ao pai, que buscou lhe consolar. Afim de consolar o menino, o pai lhe convidou a passear no centro da cidade no dia seguinte. Manhã seguinte, seu pai lhe chamou e foram ao centro. Passeio daqui, passeio dali, até que passam na frente de uma loja de usados, e o pai houve um grito do menino: Ali está meu barquinho! O pai logo disse que era sua imaginação. No entanto o menino insistiu e disse: Eu fiz aquele barquinho, o conheço muito bem, não me enganaria. Entrando na logo perguntou quanto era o barquinho, e recebeu a resposta. Colocando no bolso, encontrou uma única moeda, e exatamente o calor do barquinho. Dando ao dono do estabelecimento, pegou o barquinho e logo disse. Meu barquinho, que saudades. Pensei que havia lhe perdido e nunca mais o veria. Mas agora, nunca mais nos separaremos. E você é muito especial porque é duplamente meu. Primeiro porque eu te fiz, e segundo porque te comprei.


Você é duplamente de Jesus. Ele te fez e te comprou com preço de sangue. Era a única moeda capaz de comprar sua alma, e ele o fez, não exitou, e hoje você pode ter esta certeza que ninguém o arrebatará de suas mãos.

AUTOR: Ivan Tadeu Panício Junior Ministro da Assembleia de Deus em Curitiba,
Mestre em Teologia, Diretor da Faculdade Cristã de Curitiba, autor de vários livros.

Nenhum comentário :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...