12 de abr de 2016

ANDRÉ VALADÃO FERE A CERNE DO CRISTIANISMO




"A cruz não é a revelação do nosso pecado, é a revelação 
do nosso valor".

Esta frase foi postada na página do Facebook oficial do André Valadão (veja aqui). Mas, se a cruz não revela nosso pecado, qual seria o fundamento dos escritores bíblicos ao falar em propiciação e expiação? Estes são termos que comunicam que a morte de Cristo foi em substituição ao pecador, para pagar a dívida do pecado e aplacar a santa ira divina.


Esse tipo de frase demonstra a perversão do evangelho e mostra como baluartes do segmento gospel tem infiltrado falsos ensinamentos no seio da Igreja. Um dos pontos centrais da fé cristã sofre um ataque por parte do André Valadão, que além de cantor detém o título de pastor, e milhares de pessoas curtem e compartilham. Lamentável!

A cruz não revela nosso valor, revela nossa vileza. Revela também a nossa incapacidade de nos achegarmos a Deus. Cristo Jesus foi quem por graça lavou a igreja com seu sangue, purificando-a de todo o pecado. Sendo assim, o valor da igreja, ou seja, dos crentes que formam o corpo de Cristo, não é outro a não ser o sangue que os redimiu. Por isso o apóstolo Paulo diz que se tem um motivo para gloriar-se, este motivo é a cruz de Cristo (Gl 6.14). Não há nenhuma passagem bíblica que exalta o valor intrínseco do ser humano, pelo contrário, a Bíblia revela o pecado do homem e a necessidade de purificação mediante a fé em Jesus.

"...pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus". Romanos 3:23,24

Ao dar sequência a este texto lemos que Jesus foi entregue "como sacrifício para propiciação mediante a fé, pelo seu sangue, demonstrando a sua justiça. Em sua tolerância, havia deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; mas, no presente, demonstrou a sua justiça, a fim de ser justo e justificador daquele que tem fé em Jesus". Romanos 3:25,26

Como pode ser facilmente observado na Bíblia, Cristo morreu para não deixar os pecados impunes. Nas palavras de Pedro, o justo morreu pelos injustos , sacrificado pelos NOSSOS PECADOS (1 Pd 3.18).

Que o Senhor faça a igreja no Brasil crescer no conhecimento da verdade, pois, falsos mestres estão aos montes disseminando o humanismo que fala do valor do homem, como se este não fosse pecador e miserável, carente da salvação em Jesus para que não pereça. Tendo piedade do teu povo ó Deus, ele perece por não conhecer tua Palavra.

***

P.S. O André Valadão até tentou consertar (veja) e seus fãs o defendem dizendo que o fato de Jesus ter morrido por nós é uma demonstração de que possuímos algum valor. Bem, se Jesus morreu devido ao nosso valor, logo, havia algo em nós que nos tornou merecedores de tal amor, porém, não é isso que diz a Escritura:

1. O ato de Cristo ter morrido na cruz foi em obediência ao Pai, satisfazendo a justiça que cabia a Deus em não deixar o pecado impune.

2. O amor contido nesse ato é um amor gracioso, logo, o valor não entra no mérito de seu sacrifício. Cristo não nos amou por enxergar valor em nós, nos amou sem termos valor nenhum, por isso que é graça, por isso que é um favor imerecido.


Não dá para remediar o irremediável, ao atribuir algum valor ao ser humano, a frase estará errada.

Por Thiago Oliveira

Nenhum comentário :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...