31 de jul de 2016

SACRIFÍCIOS VAZIOS E INÚTEIS



Isaías 1.10-11

Deus, em Sua Santa Palavra, a Bíblia, demonstra Sua reação a este tipo de religiosidade superficial. Acabo de assistir o noticiário televisivo desta quarta feira "de cinzas", e me pergunto: "Quando será que aqueles que se denominam cristãos vão considerar a Palavra de Cristo, nas Escrituras, em vez de seguirem, cegamente, outros cegos em sua tradição religiosa humanamente criada?". O Jornal Hoje da Rede Globo apresentou uma matéria sobre a Quaresma utilizando-se da seguinte chamada:
"Quaresma: Época de Promessas, Penitências e Sacrifícios". Na reportagem, várias entrevistas foram exibidas com o intuito de destacar a "validade" do jejum de carne vermelha neste período de quarenta dias que antecede o domingo de Páscoa, daí o termo Quaresma, bem como da prática de se fazer promessas, penitências e sacrifícios durante estes dias. 


Insisto em perguntar: Será que Deus, o Deus revelado na Bíblia Sagrada que enviou o Seu Filho Jesus Cristo ao mundo, de fato se agrada de tais sacrifícios? E as penitências? Funcionam mesmo para perdoar pecados, especialmente aqueles que foram cometidos, deliberadamente, durante o Carnaval, como se Deus fosse "O bobo da corte" de Momo, o rei da orgia?



Deus, em Sua Santa Palavra, a Bíblia, demonstra Sua reação a este mesmo tipo de religiosidade superficial, que melhor pode ser chamada de falsidade ritual, praticada pelo Seu povo Israel, nas seguintes expressões: "Ouvi a palavra do Senhor, vós príncipes de Sodoma; prestai ouvidos à lei do nosso Deus, vós povo de Gomorra. De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios? Diz o Senhor."(Isaías 1:10-11a); "Porém Samuel disse: ‘Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? 



Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender melhor do que a gordura de carneiros’." (1 Samuel 15:22); "Mesmo neste estado ainda me procuram dia a dia, têm prazer em saber os meus caminhos; como povo que pratica a justiça, e não deixa o direito do seu Deus, perguntam-me pelos direitos da justiça, têm prazer em se chegar a Deus, dizendo: ‘Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? 


Por que afligimos as nossas almas, e tu não o levas em conta? Eis que no dia em que jejuais cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho. Eis que jejuais para contendas e rixas, e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje não se fará ouvir a vossa voz no alto. Seria este o jejum que escolhi, que o homem um dia aflija a sua alma, incline a sua cabeça como o junco e estenda debaixo de si pano de saco e cinza? Chamarias tu a isto jejum e dia aceitável ao Senhor?" (Isaías 58:2-5).



O único Sacrifício aceitável, diante de Deus, para perdoar pecados e cancelar a culpa de um pecador, foi realizado, de uma vez por todas, por Jesus Cristo, a fim de que aqueles que somente nEle confiam, recebam o pleno perdão, o acesso à presença santa de Deus, e a vida eterna, conforme se lê: "Ora, todo sacerdote se apresenta, dia após dia, a exercer o serviço sagrado e a oferecer muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca jamais podem remover pecados; Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à destra de Deus (...) 



Porque com uma única oferta aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados" (Hebreus 10:11-14). Qual será a sua decisão, querido leitor? Confiar em seus próprios sacrifícios, vazios e inúteis perante Deus, ou render sua sincera confiança somente a Jesus, reconhecendo a sua condição de pecador falido, e crendo que o sacrifício de Cristo é único e suficiente para perdoá-lo de todo pecado? Conte com a nossa oração e ajuda.



Jamil Abdalla Filho


Nenhum comentário :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...